Acadêmico de Publicidade e Propaganda relata experiência de participar do FIC

No início de outubro rolou o Festival de Interatividade e Comunicação, em Porto Alegre. O FIC, como é conhecido, reúne profissionais da área da comunicação para discutir as novidades do mercado e o futuro da comunicação. O evento é realizado pela ABRADIRS com co-realização do SEPRORGS. Nosso acadêmico Matheus Bassi, de Publicidade e Propaganda, participou do evento e escreveu um relato sobre como foi vivenciar essa experiência.

22385315_1450571518325516_27473839_n

“Durante os dois dias de evento, tive a oportunidade de assistir palestras de profissionais das áreas de design, marca e tecnologia como Fred Gelli, Cofundador e CEO da Tátil Design, agência responsável pela criação da marca dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos e uma videoconferência com Brian Solis, Analista Principal e Futurista da Altimeter, grupo de analistas digitais no Prophet Group.

O evento funcionou da seguinte maneira: No primeiro dia tivemos uma série de palestras na chamada Trilha Única, onde além da palestra do Fred Gelli, ocorreram também as palestras do Sílvio Meira (MuchMore), Luciana Bazanella (White Rabbit) e Pierre Mantovani (CCXP e Omelete Group). Já no segundo dia a programação começou com a vídeo-palestra do Brian Solis que depois entrou em videoconferência para um bate-papo. Após a palestra principal, o evento foi dividido em três trilhas onde os participantes podiam transitar pelos mais diversos assuntos como Realidade Virtual, Experiência de Marca, Gastronomia Social, Envolvimento com Marcas, entre outros.

Durante os dois dias, entre uma palestra e outra, tínhamos de 15 a 30 minutos livres para transitarmos pelos stands das empresas e instituições parceiras do FIC 2017, tempo aproveitado para ter contato com tecnologias que ainda não estão presentes no nosso dia-a-dia como a realidade virtual, que pode ser aplicada em uma infinidade de áreas como na criação gráfica, educação, mercado imobiliário entre outros.

O próximo FIC ainda não teve a data revelada, mas a minha presença já está confirmada, e se eu puder dar um conselho para vocês é que se programem para ir. A quantidade de conhecimento agregado de realidades e áreas diferentes da nossa é imensa e, para nossa área, conhecimento nunca é demais não é mesmo?”

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Guia de Direitos Humanos ajuda em cobertura de manifestações

Na última quinta-feira, a ONU lançou, em São Paulo, a versão em português do documento “Diretrizes para a Observação de Manifestações e Protestos Sociais”, um guia de assistência prática aos observadores de direitos humanos no contexto de manifestações e protestos sociais.

Em 2016, para ajudar os observadores(as) de direitos humanos no exercício de suas funções, o Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), em conjunto com instituições nacionais de direitos humanos e Defensorias Públicas da região de São Paulo, produziu o documento “Diretrizes para a Observação de Manifestações e Protestos Sociais”.

Repressão a manifestação no Complexo da Maré

Repressão a manifestação no Complexo da Maré, em 2015, no Rio de Janeiro. Foto: Mídia Ninja. Publicação site Nações Unidas

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e o Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) participaram do processo de elaboração destas diretrizes. Segundo a ONU, trata-se de um guia de subsídio a todos que exercem a tarefa de observação de reuniões e ações coletivas, para facilitar o processo de verificação do cumprimento de obrigações e normas internacionais, o monitoramento das circunstâncias que emolduram as manifestações e protestos, bem como a captação de informação, sua revisão e eventual e imediato uso frente às violações aos direitos humanos.

Segundo o ACNUDH, o aumento das manifestações e protestos é tema crucial que tem emergido no Brasil. De acordo com o escritório de direitos humanos da ONU, cidadãos e cidadãs estão demandando mais às democracias, exigindo maiores níveis de participação, transparência, não discriminação e maior acesso a direitos essenciais.

O documento recolhe as experiências e boas práticas das instituições nacionais de direitos humanos e Defensorias Públicas da região, em matéria de observação de manifestações e protestos sociais no contexto da América do Sul.

Não deixe de baixar o documento:

Diretrizes_Português_versão-online

Fonte: ONU

Vem aí Semana Estado de Jornalismo

A Semana Estado de Jornalismo está chegando e os acadêmicos que querem ficar por dentro dos principais debates da área devem ficar ligados no prazo de inscrições. O evento reúne cerca de 300 estudantes de todo o país no auditório do Estadão, em São Paulo, para palestras, workshops e visitas guiadas à redação.

Neste ano, a Semana ocorre de 24 a 27 de outubro, na parte da tarde, com o tema “Jornalismo em Rede”. São quatro dias intensos, com uma programação desenvolvida para aproximar universitários de profissionais experientes e de fontes em vários setores. As atividades são gratuitas, mas é preciso ficar atento para garantir a participação. As vagas são limitadas e as inscrições feitas diretamente com os coordenadores das faculdades. Mais informações estão disponíveis no blog Em Foca e também na página do Facebook.

8o. PREMIO SANTANDER JOVEM JORNALISTA E SEMANA ESTADO DE JORNALISMO

Auditório do Estadão – foto de blog Em Foca

A Semana Estado de Jornalismo é um dos mais tradicionais eventos dedicados a jornalistas em formação. Criado em 1993, o programa a cada ano busca um enfoque diferente, das grandes reportagens em várias áreas às inovações tecnológicas que vêm modificando a forma de produzir a informação. Junto com a Semana Estado é promovido o Prêmio Santander Jovem Jornalista, para a melhor reportagem produzida após o evento. A pauta da reportagem a ser produzida é divulgada no início da Semana.

O vencedor tem sua matéria publicada no Estadão impresso e ganha um semestre letivo na Universidad de Navarra, na Espanha, com todas as despesas pagas. O jovem jornalista ainda recebe um laptop e a reportagem também no site do Estadão, assim como os finalistas.

 

 

 

 

Inscrições abertas para bolsas de fotojornalismo em áreas de conflito

O programa internacional de fotojornalismo para estudantes Student Media Grants Program (SMGP) está com inscrições abertas para bolsas de fotojornalismo em áreas de conflito até o dia 30 de setembro. O programa oferece até US$ 5 mil para candidatos documentarem áreas em situações precárias ou afetadas por conflitos.

Abordando temas que vão desde saúde, educação, pobreza, dentre outros, o programa vai de janeiro a dezembro de 2018 e é aberto a estudantes de graduação e pós-graduação de todo mundo. Dentre os países que já receberam a atuação dos bolsistas estão Nigéria, Mali, Bangladesh, Nicarágua, Quênia, Haiti, Etiópia e Peru.

inscrições-bolsas-foto-conflito-990x556

Foto: Divulgação Portal Comunique-se

 

Os participantes poderão escolher fotografar em seu país de origem ou apresentar uma proposta de viagem internacional, bem como o período que irão atuar no país de origem. Basta montar um projeto descrevendo como gostariam de realizar o trabalho. As propostas podem ser individuais ou em duplas, porém o projeto enviado deve ser um só. No entanto, cabe salientar que a bolsa será a mesma caso duas pessoas resolvam se inscrever juntas.

Interessados devem enviar proposta com dados pessoais e descrição do plano de viagem e de trabalho (em inglês) para condevcenter@condevcenter.org. Leia aqui as instruções para o envio do e-mail e o formato das submissões.

O SMGP é realizado pelo Center of Conflict and Development (ConDev), da Texas A&M University. O ConDev busca melhorar a eficácia de programas de desenvolvimento em países afetados por conflito por meio de pesquisa, educação e projetos internacionais.

Inscrições

Prazo: 30 de setembro.

Inscreva-se por e-mail: condevcenter@condevcenter.org.

 

Adaptação: Portal Comunique-se

Liberdade de Imprensa é pauta durante o Salão do Conhecimento

O Salão do Conhecimento é um espaço de diálogo, de socialização e de troca de saberes e de experiências entre si e com a comunidade em geral. E é com esse objetivo que a Agert, Unijuí e os Cursos de Direito, Jornalismo e Publicidade e Propaganda realizarão o Seminário “Liberdade de Imprensa: Judiciário e Mídia a Serviço da Comunidade”, ministrada pelo desembargador Luiz Felipe Silbeira Difini, presidente do Tribunal de Justiça.

21728400_1579812448749329_4161458929945524214_n

O evento acontece na terça-feira, dia 26 de setembro, no Centro de Eventos da Unijuí (antigo Prédio das Artes), a partir das 14h. O seminário é direcionado aos acadêmicos dos cursos de Direito, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, profissionais formandos em Comunicação e Direito e comunidade interessada sobre o tema.

Segundo o representante da Agert na região, José Luis Bonamigo, há três aspectos que ressaltam a importância da realização do seminário. “Primeiro a aproximação da justiça com a comunidade. Segundo a aproximação entre o meio acadêmico e os profissionais da área da imprensa e da Comunicação. E por último o entendimento das redes sociais como ferramenta de trabalho também”, destaca.

Para Bonamigo, essa troca de experiências entre os estudantes dos cursos de Comunicação e Direito, bem como com os profissionais atuantes no mercado pode auxiliar no entendimento dessas demandas, em especial, no aprofundamento do estudo sobre a exposição que ocorre nas redes sociais e a divulgação de fake News, o que pode gerar sérios danos à sociedade.

Para saber mais sobre o evento, basta entrar em contato pelo email secretaria@agert.org.br ou pelos telefones (51) 3212-2200 e (51) 3228-2959. Não deixe de participar.

 

Conheça alguns aplicativos para facilitar o desenvolvimento do seu TCC

Todo universitário sonha com o dia de receber seu diploma, porém para chegar lá, antes é preciso receber a aprovação no Trabalho de Conclusão de Curso. Esse às vezes também pode ser um momento muito temido, especialmente pelas já tradicionais histórias de que ao longo do período de produção do TCC, muitos deixam de ter uma “vida social”. São inúmeras as preocupações: produção da monografia, do projeto, como e quando fazer, como começar, as regras que precisam ser seguidas, formatação, tradução do material de leitura e por aí vai.

Aplicativos TCC

A Revista Galileu lançou uma matéria, na última semana, divulgando dez plataformas gratuitas que é possível utilizar pelo navegador ou baixar como aplicativo e que irão ajudar os formandos a organizar, escrever e finalizar seu TCC. Confira a lista:

  • oTranscribe

O site facilita a transcrição de áudio e vídeos do YouTube, sem limite de tamanho. Basta inserir o arquivo ou link. Ele possibilita escrever na página sem ter que abrir e organizar várias abas. É possível ajustar a velocidade e volume do som, controlar as marcações por atalhos e ainda antecipar ou retornar para algum momento desejado.

  • Canva

O Canva é voltado para edição de imagens e design gráfico. Ele possibilita a criação de logotipos, infográficos, capaz de livros, apresentações, cartazes. O dispositivo possui recursos internos que são pagos, como fotos e desenhos, porém para se cadastrar é gratuito.

  • Google Drive

O serviço permite ao usuário fazer download de fotos, documentos, vídeos, áudios e PDF’s, que ficam salvos em uma nuvem online. A capacidade de armazenamento é de 15 GB. Para usá-lo, basta ter uma conta no Gmail.

  • Digitação com voz (Google Docs)

A ferramenta está disponível em português e somente no Chrome. Para usá-la, é necessário ter microfone e falar com clareza, com volume e ritmo normal. Ao final, é preciso revisar as pontuações e acentuação.

  • Google Acadêmico (Scholar)

O serviço busca artigos acadêmicos, procura diversos trabalhos universitários sobre o assunto que deseja.

  • MORE: Mecanismo Online para Referências

O MORE ajusta 15 tipos diferentes de documentos de acordo com regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

  • FastFormat

O dispositivo também permite a edição de trabalhos em formato ABNT de maneira rápida e simples. Para utilizá-lo, basta criar uma conta. A escrita é feita no próprio FastFormat, e quando o usuário acaba de escrever o texto ele pode extrair o arquivo na extensão que quiser.

  • Trello

O Trello é uma ferramenta para organização e atribuição de tarefas. Nele é possível criar quadros, colunas e etiquetas, que são personalizados com a demanda de trabalho. Ele permite anexar documentos, como fotos e vídeos.

  • Google Keep

Fazer lembretes, listas de compras e anotações, é para isso que serve o Google Keep. Todas as atividades podem ser feitas por meio de digitação, desenhos, gravação de áudio e captura de imagem.

  • Plagium

É uma ferramenta que pode evitar um problema de cópia no trabalho.

 

Cursos do Dacec realizam atividade durante o Domingo no Campus

No último domingo, 10 de setembro, os cursos do Departamento das Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação realizaram uma atividade diferenciada durante o Domingo no Campus. Norteados pelo tema “Sustentabilidade”, professores dos cursos vinculados ao Dacec realizaram a distribuição de sementes e mensagens relacionadas à preservação do meio ambiente, sustentabilidade e destinação correta do lixo. Com a mensagem principal focada no “Plante essa Ideia”, foram entregues pequenos envelopes contendo, além das sementes, imagens e frases desenvolvidas pelo Projeto Ambiente-se, do curso de Jornalismo.

As atividades ainda tiveram a participação especial da ACATA e ARL6 que realizaram a apresentação do trabalho desenvolvido por eles, em especial, em conjunto com a universidade a partir do projeto Assessoria em Gestão Empresarial e Serviços de Contabilidade para Entidades do Terceiro Setor. Participaram das atividades professores dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

Atividade Dacec - Domingo no Campus