Sobre Usina de Ideias

A Usina de Ideias é a agência experimental de comunicação do curso de Comunicação Social da UNIJUI. É um espaço pedagógico que tem como objetivo colocar os alunos em contato com a realidade do mercado, atendendo clientes internos da Universidade e externos a ela.

O que foi mais procurado no Google em 2017

O que foi mais procurado em 2017 no Google

O ano de 2017 está quase no fim, mas ao longo desse ano muitas perguntas surgiram, músicas novas e eventos para não esquecer mais. Por isso o Google disponibilizou a lista das coisas mais procuradas nesse ano. Ela foi separada por país e também possui a lista do que foi mais procurado no mundo. Quer saber o que mais foi procurado no Brasil? Elencamos os três mais procurados de cada categoria. Para saber mais entre no site Google. Confere aí:

Como Fazer

1-Como fazer ovo de páscoa?

2- Como fazer jejum intermitente?

3- Como fazer crepioca?

O que é?
1- O que é pangolim?

2- O que é Sarahah?

3- O que é TBT?
Por quê?
1-  Por que o Brasil não está na Copa das Confederações?

2- Por que Zeca vai ser preso?

3- Por que o Evaristo saiu do Jornal Hoje?

Acontecimentos
1- Brasileirão

2- Furacão Irma

3- Copa do Brasil

Filmes
1- It: A Coisa

2- Velozes e Furiosos 8

3- Liga da Justiça

Músicas
1- Despacito

2- Deu Onda

3- Trem-Bala

Anúncios

Usina de cara nova

 

Neste ano, a Agência Experimental de Comunicação dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Unijuí – Usina de Ideias, completou seus 20 anos de história. Para marcar essa data especial, uma proposta foi lançada aos alunos da disciplina de Direção de Arte Avançada.

Orientados pela professora Nilse Maldaner, os acadêmicos formaram grupos que receberam o desafio de pensar uma nova marca que representasse a Usina de Ideias. Dinâmica, tecnológica, jovial e constante, a Usina é uma referência aos acadêmicos dos dois cursos no que diz respeito à estágios e trabalho efetivo com clientes reais, sendo o espaço para o fomento do pensamento crítico e da prática da teoria aprendida em sala de aula.

O processo de criação contou com a participação de oito grupos que apresentaram suas propostas a banca avaliadora formada pelas professoras Rúbia Schwanke, Marcia Formentini, Lara Nasi e Nilse Maldaner. Destas, a banca selecionou três marcas que estiveram em votação popular no Blog da Usina até o final da noite de ontem, quarta-feira, 20 de dezembro.

Com um total de 210 votos válidos, a proposta vencedora com 44% dos votos foi a das acadêmicas Bárbara Schmidt e Carine Massi. A proposta, segundo a dupla, manteve algumas características da identidade visual antiga, como as cores. No entanto, buscou-se representar o movimento e a conexão da tecnologia com os cursos por meio do círculo. As linhas utilizadas representam as iniciais “U” e “I” que na formação geral da marca, em união ao círculo, remetem ao ícone “on/power”.

A proposta apresentada pelo grupo formado pelas alunas Bruna Pazuch Perez, Letícia Peiter e Susan P. da Silva ficou em segundo lugar, com um total de 65 votos válidos, o que resultou em 31% na votação geral. Já a proposta dos acadêmicos Wellington Lenz e Júlio Pedroso recebeu 52 votos, o que representa 25% do total de votos válidos.

A nova marca será implementada nos materiais da Agência Experimental a partir do próximo semestre.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com quem falamos nas redes?

Um dos grandes desafios na área da comunicação é compreender com quem se fala. Quem é nossa recepção? Quem são os interlocutores, os atores envolvidos no processo de comunicação? Isso é verdade tanto na mensagem publicitária, quanto nas produções jornalísticas, e quando não compreendemos com quem falamos, corremos o risco de não falarmos com ninguém. Em um mundo cada vez mais diverso, plural e, ao mesmo tempo, mais conectado e com mais trocas culturais, propiciada em especial pela relação com os sites de redes sociais, é comum imaginarmos que todos têm o mesmo tipo de relação que nós temos com a rede.
Boa parte dos estudantes de comunicação, especialmente os que estão começando o curso agora, são de uma geração que é considerada nativo digital, a primeira geração em que o digital e o físico não são mais dissociados e sim camadas sobrepostas de sua vida. O site Ponto eletrônico, uma iniciativa do grupo BOX 1824, fez uma interessante análise e um infográfico falando das diferenças geracionais e na forma como estas se relacionam com a rede. Esse tipo de análise é de especial interesse para quem pretende estabelecer diálogos, não só com a sua geração, mas com todas as possíveis audiências e assim entender como e com quem estamos falando.

Acompanhe a análise e o infográfico no site.

infograficofinal

Texto por: Leonardo Mello – Publicitário, egresso da Unijuí e mestrando em comunicação na UFSM.

Turma de Publicidade lança a campanha #TroqueFogosporAmor  

 

troque hashtag

Na quarta-feira, dia 13, os alunos de Publicidade e Propaganda lançaram a campanha #TroqueFogosporAmor. Produzida na matéria Criação e Produção em meios digitais e orientada pela professora Márcia Almeida, a campanha foi uma proposição da Associação Protetores da Vida – Ijuí (APV) com intuito de conscientizar a população sobre os malefícios dos fogos de artifícios.

O foco da campanha foi o de aproximar as pessoas da discussão acerca dos malefícios que os fogos podem causar aos animais, crianças, autistas, idosos, dentre outros. Por isso, a produção foi toda voltada às redes sociais, com ênfase no Facebook. “A poluição sonora causada pela queima de fogos acaba com o sossego de pessoas e animais, provocando ainda perturbação em pacientes e hospitais. Além de perturbar e dificultar o tratamento de crianças com autismo, é causadora de traumas irreversíveis aos autistas e animais, principalmente por serem mais sensíveis”, afirma o vereador Adalberto de Oliveira Noronha (PT), citado na audiência pública que debateu o assunto em Ijuí.

A hashtag #Troquefogosporamor assina os posts referentes à temática dos fogos, conferindo unidade para as peças e instigando a atitude somada à reflexão. A campanha também atende ao briefing aplicado aos representantes da APV, que busca o diálogo com as pessoas por meio da emoção e não aderindo, nesta fase, uma mensagem de choque ou acusação.

O Projeto sobre a regulamentação do uso de fogos de artifício está tramitando na Câmara de Vereadores de Ijuí e é de autoria do Vereador Adalberto de Oliveira Noronha (PT). O PL tem por principal objetivo a busca da preservação da saúde e da integridade das pessoas, animais e meio ambiente.

troque fogos por amor

50 empregos dos sonhos para criativos

Neste ano, pela quarta vez, a Working Not Working, dos Estados Unidos, divulgou a lista das “Companies Creatives Would Kill to Work Full Time”. Ela apresenta as empresas que os profissionais que atuam na indústria criativa sonhariam em trabalhar.

Algumas empresas aparecem desde 2014, ano de criação da lista. Entre elas estão as agências 72andSunny, Barton F. Graf, Droga5, BBDO, Mother e Wieden + Kennedy. Entre as gigantes de tecnologia, sempre fizeram parte da lista Airbnb, Apple, Google, Nasa e SpaceX. Entre as empresas de design, figuraram nas quatro edições da lista a Ideo, Pentagram, Sagmeister & Walsh e Buck. Já entre as empresas de entretenimento, a Disney & Pixar sempre permeia os sonhos dos criativos.

Sete empresas apareceram na lista pela primeira vez: Instagram, Chandelier Creative, Collins, Everlane, Mailchimp e Mediamonks. Confira no gráfico as companhias dos sonhos dos executivos em 2017:

50 empregos dos sonhos para criativos

(Crédito: Reprodução/Ad. Age)

 

Artigo adaptado em dados do Meio e Mensagem

“Youtube: a nova face do jornalismo” aborda o novo mercado do streaming em vídeo

Rafael KeskeCom o tema “Youtube: a nova face do jornalismo” o formando de Jornalismo Rafael Keske, em seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), abordou as mudanças que impulsionam o jornalista a se adaptar ao novo mercado do streaming em vídeo, projetando plataformas como essa no campo da comunicação de massa com tendência a virar uma “televisão do futuro”.

“A produção foi super tranquila, a Vera Raddatz, minha orientadora, indicou boa parte do material de pesquisas e ajudou a organizar um sumário pro trabalho. Depois de contextualizar o assunto, entrei com a parte da análise crítica entre a audiência do Youtuber x imprensa tradicional”, esclarece.

Para Rafael, o fato de que, desde crianças, suas escolhas fossem os vídeos no youtube à televisão foi o que motivou a escolha do tema para sua pesquisa monográfica durante o trabalho de conclusão de curso. “Talvez tenha sido minha alternativa à TV desde criança. Atualmente venho percebendo a necessidade do jornalista se aprofundar e ampliar o foco nas mídias digitais e, considerando a força que o Youtube vem ostentando, comparada à queda na audiência de grandes emissoras como a Rede Globo, acho que o tema encaixou com o atual momento em que vivemos na imprensa nacional”, conclui.

Jornalismo e Ficção andam juntos  

25151982_1674275902624182_8669181779845533575_nNa última quarta-feira, 13 de dezembro, a formanda de Jornalismo Fernanda Zimmermann Rebelato, apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sobre “A Representação Do Jornalismo Na Ficção Literária: Análise Da Personagem Rita Skeeter Da Série Harry Potter No Papel De Jornalista”. O trabalho tem por objetivo examinar toda a trajetória do jornalismo e da personagem na história, comparando-a com a profissão.

“Quando começamos a fazer a matéria de Projeto de Monografia, todos me falaram sobre escolher um assunto do qual eu gostasse, até porque passaria um bom tempo lendo sobre ele. Então escolhi trabalhar com Harry Potter, primeiro porque sempre gostei muito de ler, então encontrei em uma das minhas histórias favoritas algo para trabalhar. O segundo motivo foi porque, durante esses cinco anos de faculdade, ouvi bastante sobre como os jornalistas devem tentar levar a verdade ao público, de uma forma séria. A Rita Skeeter, personagem da minha análise, representa um antagonismo disso. Na série ela representa os jornalistas sensacionalistas, que também existem no nosso cotidiano, então foi importante ver como as características da personagem refletem nas atitudes de profissionais do jornalismo fora da obra”, comenta.

Para Fernanda, apresentar o TCC foi uma mescla de ansiedade, nervosismo e alívio. “Ansiedade porque eu não via a hora da minha apresentação chegar. Nervosismo porque apresentar para duas grandes professoras como a Lara e a Vera da um certo desespero e a gente fica pensando ‘será que falei tudo? será que tá bom? será que elas gostaram?’. Mas no fim deu tudo realmente certo, a contribuição das duas foi ótima e, então temos a sensação de alívio. Alívio por ter tirado nota máxima com um tema tão diferente que é a união do jornalismo com as narrativas literárias”, conclui.

25371009_1674301895954916_1226108412_o