Projeto Entre Nós resgata a história indígena da região

Projeto é o último desenvolvido pelas disciplinas da ênfase II, de Jornalismo, e traz à tona desde a herança, até as demandas contemporâneas dos indígenas que vivem na região Noroeste Missões

Entre Nós

Com objetivo de valorizar a cultura indígena, a última turma das disciplinas da ênfase em Jornalismo desenvolveu o projeto Entre Nós. Ele busca, por meio de produções em texto, fotografia, áudio e vídeo, resgatar desde a herança, o legado e as demandas contemporâneas dos indígenas que vivem na região Noroeste Missões. O projeto foi desenvolvido em cinco disciplinas da ênfase II do Jornalismo: Produção Multimídia II, Produção de Texto II, Produção de Áudio II, Produção de Vídeo II e Produção de Foto II, com orientação das professoras Lara Nasi e Vera Raddatz, e do professor Celestino Perin.

Para desenvolver a proposta, muitos acadêmicos visitaram as Aldeias da região e tiveram a oportunidade de vivenciar a realidade do povo indígena. Foi dessa experiência que surgiram as pautas que abordam a luta pela demarcação de terras, a educação básica indígena, os jovens nas aldeias, entre outros aspectos. “Tivemos a ajuda de uma indígena egressa da Unijuí, a Leda Sales, que hoje atua na Secretaria Especial de Saúde Indígena e nos passou o contato de diversas lideranças indígenas da região”, acrescenta a professora de Jornalismo Lara Nasi. Os trabalhos podem ser conferidos pelo site http://www.entrenosunijui.wixsite.com/entrenos ou na página do Facebook http://www.facebook.com/entrenosunijui/.

Questionada sobre o que este último trabalho desenvolvido pela ênfase deixou de legado, a professora cita a importância desses projetos, não só o Entre Nós, mas os outros trabalhos como o Ambiente-se, que abordou a questão ambiental, e o Plurais, desenvolvido pelo curso de Publicidade e que permanece em atuação, como espaços que despertam a sensibilidade dos acadêmicos para temas sociais. “Jornalistas precisam defender os direitos humanos, como consta em nosso Código de Ética. E penso que os jornalistas em formação, que saem com essa experiência de trabalhar com profundidade temas sociais tão sensíveis e complexos, ganham muito, para a prática profissional, para a vida. Como também ganha a comunidade, que terá jornalistas mais sensíveis às questões sociais. Acho que é nisso que devemos focar também no novo currículo, essa atenção aos temas contemporâneos e a profundidade na abordagem e envolvimento. Ver o engajamento dos estudantes nesses projetos é incrível”, finaliza.

Anúncios

Redação K1 inicia nova temporada

Projeto do curso de Jornalismo da Unijuí reestreia como webjornal com publicação permanente de conteúdo

Redação K1

Notícias e reportagens sobre aspectos locais das regiões Noroeste Colonial, Missões, Celeiro e Fronteira Noroeste. É isso que o leitor vai encontrar no site do Redação K1, novo endereço do projeto do curso de Jornalismo da Unijuí que já existe desde 2012.

O projeto leva o nome da sala, K1, em que são desenvolvidas várias das aulas de redação do curso no campus Ijuí. A proposição na nova fase é consolidar-se como um webjornal com notícias sobre a realidade local. Ao mesmo tempo em que possibilita aos acadêmicos e acadêmicas de Jornalismo um espaço de formação profissional, o projeto contribui com o jornalismo local. Para a professora de Redação Jornalística I, Marizandra Rutilli, o K1 é uma oportunidade para que os estudantes possam perceber os contextos locais e colaborar socialmente por meio do texto escrito.

Todas as quintas-feiras será publicada uma nova reportagem em profundidade, sobre temas da região, ou com um olhar regional para temas mais amplos. Nas terças-feiras serão publicadas as notícias. As reportagens foram produzidas na disciplina de Redação Jornalística III, ministrada pela professora Lara Nasi e as notícias na disciplina de Redação Jornalística I, a cargo da professora Marizandra Rutilli, no primeiro semestre de 2018.

“Nossa expectativa é que o site, agora como projeto permanente do curso de Jornalismo, traga uma pluralidade de fontes para aprofundar o debate sobre diferentes temas sociais na região, seja em notícias, reportagens e até em outras linguagens”, finaliza Lara.

As produções do Redação K1 também podem ser acompanhadas na fanpage do projeto.

Acadêmicos da Comunicação apresentam trabalhos na Intercom Sul

WhatsApp Image 2018-07-02 at 16.15.07

A Intercom realiza todos os anos cinco congressos regionais, dentre eles a Intercom Sul, que integra os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Neste ano, o evento aconteceu no Centro Universitário da Fundação Assis Gurgacz, localizado na cidade de Cascavel – PR, durante os dias 29 de junho a 1º de julho. O tema norteador das discussões foram as desigualdades, os gêneros e como a comunicação pode e deve fomentar os debates nas comunidades e na mídia. A abertura trouxe discussões acerca de Gêneros, Mídias e Interfaces, conduzidas por Ana Carolina Escosteguy, doutora em Ciências da Comunicação e Vânia Sandeleia, doutora em Ciência Política.

Inúmeras palestras e oficinas aconteceram ao mesmo tempo, com isso os alunos saíam e entravam nas salas em busca de novos conhecimentos. A oficina Comunicação corporal, por exemplo, convidava os estudantes a serem criativos e a se soltarem enquanto brincavam com os movimentos e expressões do corpo. Na tarde de sábado, a FAG organizou o Intercom Sessions, com música ao vivo ao som do rapper Paladino. Para quem gosta de Games, também teve o campeonato Fifa 18 Liga das feras da Comunicação.

As apresentações dos trabalhos pelos alunos da Unijuí iniciaram na sexta-feira pela manhã, com os trabalhos que concorreram no Expocom, e finalizaram no sábado à tarde. Na categoria Intercom Júnior foram cinco trabalhos defendidos. As acadêmicas de Publicidade e Propaganda, Carine Massi e Bárbara Schmidt, defenderam o artigo O Marketing em campanhas: estudo de caso das marcas Three Dogs e Three Cats, orientado pela professora Nilse Maldaner. “Ter participado de outros congressos como ouvinte já havia sido muito enriquecedor, mas poder apresentar o meu trabalho junto com minha colega Bárbara, foi com certeza uma experiência única! É extremamente gratificante saber que nosso artigo foi aceito e melhor ainda foi poder compartilhar a nossa temática com os demais estudantes e professores que estiveram presentes. Durante esses dias de evento, eu também pude conferir muitos trabalhos interessantes, com abordagens totalmente diferentes e vi muita coisa que estudei na graduação sendo aplicada na prática”, comenta Carine.

Para a acadêmica de Jornalismo Marjorie Bock, que apresentou o artigo sobre Mídia e direitos humanos: a representação da mulher na mídia de fronteira, a Intercom é um evento que abrange diversos aspectos da futura profissão. “Esse ano a FAG organizou muito bem as pautas de interesses dos alunos, focando na discussão sobre gênero e mídia, um debate muito importante no momento em que estamos passando, buscando acabar com discursos machistas e preconceituosos e prezando por uma mídia democrática. É a segunda vez que apresento trabalho no Intercom Júnior e mais uma vez foi uma experiência incrível. Poder relatar minha pesquisa para acadêmicos de outras universidades e conhecer sobre outras pesquisas demonstra a importância dessa socialização para minha construção profissional. É muito bom ouvir novas opiniões, críticas e também conhecer novas referências vinda das pesquisas de outros colegas”, destacou a estudante.

Já para a acadêmica de Publicidade e Propaganda, Sthéfany Oliveira, em sua primeira vez no evento, apresentando o trabalho Plurais 2.0: Empatia e a Experiência no Estudo da Publicidade Social, “a experiência em defender o Projeto Plurais 2.0 foi muito importante. Levamos um conteúdo que era muito próximo ao tema do evento e as pessoas gostaram, tivemos um ótimo debate sobre o assunto de empatia e o papel do profissional de publicidade como gerador de mudanças. Trouxemos muitas ideias novas na bagagem, tivemos um bate papo sobre diversidade e como a publicidade está se adaptando as novas necessidades do público, de como ela pode ser mais responsável e ir muito além da venda”.

Podemos dizer que esta edição da Intercom Sul 2018 foi um sucesso! Para quem foi pela primeira vez, fica o gostinho de quero mais. Quem já tinha ido, agradece a oportunidade de poder participar e trazer a cada evento novas ideias. Que venha a próxima! Até breve viajantes comunicativos!

Por Daniella Koslowski, acadêmica de Jornalismo.

Confira também:

Produções da Unijuí concorreram na etapa regional da Expocom

Acadêmicos da Unijuí apresentam trabalhos no Congresso de Comunicação

Este slideshow necessita de JavaScript.

Produções da Unijuí concorreram na etapa regional da Expocom

WhatsApp Image 2018-07-02 at 16.18.07

E mais um Intercom Sul chega ao fim, foram três dias de muito estudo, passeios e amizades novas. Na última quinta-feira, dia 28 de junho, na Fidene Unijuí, embarcamos nessa viagem, rumo a Cascavel, no Paraná, para participarmos de mais uma edição da Intercom Sul. A galera estava animada e nervosa, afinal, muitos acadêmicos apresentariam seus projetos e artigos na sexta e sábado.

Chegamos em Cascavel e parece que a ficha caiu, era papel para cá e para lá, o pessoal revisando os slides e ensaiando para sair tudo conforme o planejado. O projeto Caminhos do Rincão foi o último a ser apresentado na categoria Multimídia, na Expocom e apesar do nervosismo daquele momento, deu tudo certo. O projeto foi apresentado pelos acadêmicos de Jornalismo Natan Pipper Torzeschi, Lara Cristina dos Santos, Laura de Moura e Caroline Gonçalves Batista, que comenta como foi a experiência: “A ida ao Intercom pela primeira vez nos deixa apreensivo, ainda mais com a responsabilidade enorme de apresentar o Projeto Caminhos do Rincão, que foi desenvolvido nas matérias da ênfase do curso de Jornalismo, representando todos colegas que trabalharam duro para colocá-lo em prática. Concorremos com outros quatro trabalhos de diferentes cidades. A premiação não veio, porém é recompensador mostrar nosso projeto para outras pessoas. A participação já foi válida, tanto pessoalmente como profissionalmente, além da troca de conhecimento nos dois dias de congresso, também houve muita interação e diversão”.

Na parte da tarde, foi a vez da acadêmica de Jornalismo Maria Antônia Santos apresentar na Expocom o seu documentário radiofônico, que teve orientação da professora Vera Raddatz. O documentário discute a participação das mulheres no mundo dos jogos eletrônicos, qual o papel e como é a recepção do público, já que esse mundo era predominantemente masculino. “Participar da Intercom em si sempre é uma experiência muito engrandecedora e diferente, já que o meio da comunicação sempre se renova, e, portanto, ir lá é uma forma de se atualizar como acadêmico e profissional. Apresentar o trabalho foi algo novo para mim, já que foi a primeira vez que tive a oportunidade de expor uma pesquisa minha, e, além de adquirir prática, também engrandeci meus conhecimentos até da parte técnica que envolve a explanação, já que foi diante de uma sala cheia e um mediador disposto a questionar o que apresentei”, conclui a acadêmica Maria.

Os trabalhos premiados na edição Sul da Expocom foram conhecidos no domingo. Infelizmente nenhum dos trabalhos apresentados pelos acadêmicos da Unijuí passou para a etapa Nacional. Entretanto, o que fica para todos é a sensação de dever comprido.

Por Giuli Ana Izolan, acadêmica de Jornalismo.

Projeto Experimental une moda e publicidade no meio digital

projeto experimental

Na tarde de ontem a acadêmica de Publicidade e Propaganda Bárbara Michele de Moraes apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que contou com a orientação da professora de Publicidade e Propaganda Sílvia Frantz e teve como banca o professor André Gagliardi. O trabalho Moda: fotografia e edição na publicidade digital é um projeto experimental que mostra a fotografia de moda na publicidade por intermédio do Instagram.

A produção foi motivada a partir da paixão da acadêmica pela fotografia e da necessidade de estar em constante atualização às exigências do mercado. O Instagram é um aplicativo voltado especificamente para fotografia, tendo sido esse um dos principais motivadores para a escolha deste meio para o estudo e aplicação do projeto. “A produção do meu projeto teve vários detalhes que eu tive que fazer. Começou com a organização, desde o processo de separar o estilo de roupa que eu ia fazer, toda a produção da modelo, fotografar e depois, após produção, realizar a edição das imagens nos softwares”, relata.

Para Bárbara, a apresentação do trabalho foi a última etapa vencida para então comemorar a aprovação. “Apresentar para banca foi difícil. Eu estava bem nervosa. É a última apresentação e tu depende disso para se formar. O nervosismo tomando conta”, conta Bárbara, que, apesar do nervosismo, recebeu nota máxima.

Por Giuli Ana Izolan, acadêmica de Jornalismo.

projeto experimental 2

TCC analisa cobertura esportiva de emissoras de Ijuí

Valéria_apresentação02

Hoje, a acadêmica de Jornalismo, Valéria Foletto, apresentou seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sobre O Rádio Esportivo em Ijuí: Rádio Repórter AM e Progresso AM na Cobertura do Gauchão 2018. O objetivo da monografia foi analisar e identificar as similaridades e diferenças das emissoras: Rádio Repórter e Rádio Progresso, ambas AM, na cobertura do jogo entre São Luiz e Brasil de Pelotas, na primeira fase das quartas de final do Campeonato Gaúcho de 2018.

“Tive bastante tempo para fazer a produção, em virtude que eu não tinha nenhum estágio, apenas uma bolsa de pesquisa. Tive bastante desafios porque o meu tema é jornada esportiva, é uma transmissão de futebol de Ijuí, do São Luiz aqui de Ijuí, das rádios Repórter e Progresso AM. E para saber um pouco da história do rádio, não tinham bibliografias, não encontrei em livros, tive que fazer entrevistas orais, buscar entrevistar locutores que fazem parte atualmente e que participaram no início, nas primeiras transmissões em Ijuí e, que ainda são atuantes hoje. Então, essas entrevistas foram o que enriqueceu o trabalho em termos de história do rádio em Ijuí”, comenta.

Para Valéria, a apresentação foi um tanto desafiadora, “era algo que eu nunca tinha vivido obviamente, pois é uma única vez na vida em uma graduação. Foi um trabalho bem legal de fazer, gostei muito, não cansei em fazer esse trabalho porque é uma área que eu gosto bastante, que é o futebol e o rádio”, conclui Valéria. A banca avaliadora do trabalho foi a professora de Jornalismo Marizandra Rutilli e contou com a orientação da professora Vera Raddatz.

Por Daniella Koslowski, acadêmica de Jornalismo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Festival Santa Cruz de Cinema premia produções universitárias

CAPA-FESTIVAL4

Com objetivo de valorizar a produção audiovisual realizada por alunos de graduação de diferentes Instituições de Ensino, a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), está com inscrições abertas para a primeira edição do Festival Santa Cruz de Cinema. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de junho.

Serão realizados debates, oficinas e em cada noite do evento serão exibidos cinco filmes escolhidos pela comissão julgadora e que disputarão o Troféu Tipuana nas categorias: Melhor Filme, Direção, Fotografia, Direção de Arte, Ator, Atriz, Roteiro, Edição, Trilha Sonora e Desenho de Som. Os trabalhos devem ter até 30 minutos de duração, incluindo os créditos.

Para a categoria regional são aceitos filmes realizados entre 2014 e 2018 e para a nacional, filmes finalizados entre 2017 e 2018. Não serão aceitos vídeos publicitários. Todos os filmes selecionados receberão ajuda de custo para um integrante participar do Festival, incluindo custos de deslocamento da cidade de origem até Santa Cruz do Sul e hospedagem, durante os dias de realização do evento.

Para participar é preciso preencher a Ficha de Inscrição, disponibilizar link para visualização do filme completo (hospedado no Youtube ou Vimeo), informando senha, se houver, além de enviar a sinopse do filme e um link para visualização de trailer, se houver. Mais informações podem ser acessadas no regulamento.

O Festival Santa Cruz de Cinema é uma realização do SESC, UNISC e Pé de Coelho Filmes.

Por Giuli Ana Izolan, acadêmica de Jornalismo.