Vamos elaborar um paper?

Você tem um trabalho produzido em alguma das disciplinas de graduação que tenha gostado muito e que ache digno de concorrer a um prêmio? Se a resposta for sim, não perca tempo e comece a preparar agora sua busca pelo troféu do Expocom 2018.

Para participar, você deve escrever um paper – que nada mais que é uma defesa do seu trabalho – para acompanhar seu produto, seja ele um vídeo, peça, site, dentre outros, na hora da submissão. No entanto, fique atento, pois a primeira etapa da submissão do seu trabalho acontece dentro da própria instituição, ou seja, à Unijuí.

Seu trabalho, juntamente com o paper deve ser enviado até o dia 11 de abril para o email usinadeideiascom@gmail.com. Ele será avaliado por uma comissão formada por professores da Comunicação, pois apenas um trabalho em cada categoria pode ser inscrito pela mesma instituição de ensino.

Para ajudá-los a preparar o seu material para concorrer à premiação, produzimos um vídeo que vai ajudá-los a escrever um paper digno do Oscar, ou melhor, de um prêmio.

 

Confira as dicas e não deixe de participar!

Publicidade e redes sociais: uma relação em que todos ganham

A Pepsi retirou da mídia a sua mais recente campanha. O filme publicitário, estrelado pela modelo Kendall Jenner, sofreu duras críticas nas redes sociais, o que levou a gigante dos refrigerantes a um pedido de desculpas. A peça, em que vários jovens participam de uma manifestação genérica, pois aparentemente não existe uma causa clara defendida, termina mostrando a modelo entregando uma lata de refrigerante a um policial. Após sua veiculação houve várias manifestações contrárias, em especial no Twitter.

Pepsi

A professora de Publicidade Nilse Maldaner comenta sobre a repercussão: “Acredito que a repercussão negativa se deve, entre outras questões, à atual conjuntura política na qual vivemos, em que vários países estão retomando posturas mais conservadoras e limitadoras em termos sociais, e que tem levado as grandes manifestações públicas ao redor do mundo. Dessa forma, quando no comercial da Pepsi é feita uma apropriação “esvaziada” dos manifestos, isso acabou gerando grande repercussão nas mídias sociais”. A professora destaca um trecho da matéria acerca do assunto publicada no site Meio & Mensagem: “(…) Mas a Pepsi errou ao adotar uma abordagem muito ampla em vez de defender algo. É como se manifestar a favor do amor ou da felicidade, não é realmente uma causa”.

A coordenadora da Usina de Ideias Marcia Formentini acredita que “seja em função da associação de uma grande Marca a um cenário de protestos/descontentamento no país, passando a impressão de que a marca não tinha nenhuma relação com o que estava acontecendo, ou seja, se tiver Pepsi tudo fica bem”. Marcia também destaca que “o processo de acompanhamento e monitoramento das ações realizadas é fundamental para as marcas, pois assim podem reagir rapidamente e, a exemplo da Pepsi, reconhecer o erro em tempo”.

Questionada sobre qual postura uma empresa deve adotar em situações de crise, a professora diz que o ideal é sempre ouvir o público. Ela também destaca que é importante sempre se colocar e se posicionar a respeito. Ainda segundo a professora, “neste ponto, a Pepsico (empresa por trás do produto Pepsi) não se omitiu, falou de seu objetivo, mas, principalmente, reconheceu que errou no tom dado a sua comunicação”.

A Pepsi, além de retirar o comercial do ar, ainda fez um pedido público de desculpas no Twitter afirmando que estava “tentando projetar uma mensagem global de união, paz e compreensão. Claramente erramos o tom e pedimos desculpas. Não tínhamos a intenção de menosprezar um assunto sério. Estamos removendo todo o conteúdo e suspendendo qualquer futura veiculação. Também nos desculpamos por ter colocado Kendall Jenner nessa posição”.

Sobre o pedido de desculpas o ativista Deray Mckesson, que criticou a campanha logo após seu lançamento twittou: “É incrível que @pepsi se desculpou com Kendall. Ela escolheu fazer parte desse anúncio. Pepsi precisa pedir desculpas aos manifestantes”.

print

Vídeo

 

Por Leonardo Andrada de Mello acadêmico de Publicidade e Propaganda

barra blog

Assessoria de Comunicação Política: o papel do publicitário

A comunicação política e as estratégias de marketing governamental são fundamentais para o êxito de qualquer governo na conquista da opinião pública, bem como mecanismo de marketing nas democracias contemporâneas. A publicidade e a propaganda política necessitam, assim como em outras formas de comunicação, de impacto para serem percebidas, até por conta do excesso de informações visuais existentes.

Assessoria de comunicação política e o papel do publicitário

A professora Márcia Almeida, do Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação – DACEC, afirma que o trabalho precisa ser realizado em conjunto, pensado de forma que as peças fiquem de acordo com o posicionamento do candidato. “Atuei em uma campanha política para a prefeitura de Maringá-PR e o trabalho da equipe era elaborar a imagem de toda a campanha, unificando em todas as peças criadas o posicionamento do candidato. Além disso, prestamos assessoria de comunicação para os vereadores da coligação. Também realizamos o acompanhamento diário da campanha, no que tange os números de pesquisas, as estratégias de marketing dos outros candidatos e o monitoramento dos meios de comunicação.”

A função de um publicitário, portanto, é materializar na campanha as ideias e o posicionamento do candidato. Deve ser ético, profissional, criativo, apaixonado pela área e muito curioso. Em específico para uma campanha política, geralmente a atuação exige dedicação exclusiva, capacidade e conhecimento para tomar decisões rápidas e muito profissionalismo para realizar um trabalho transparente e com credibilidade.

Inscrições abertas para o 10º Prêmio Universitário de Publicidade

14650356_1131871790230700_5553314414077822542_n

Imagem ilustrativa / Facebook do Prêmio Universitário de Publicidade

O Centro Universitário Franciscano promove o 10º Prêmio Universitário de Publicidade, que tem como objetivo avaliar, valorizar e premiar peças publicitárias criadas em atividades acadêmicas única e exclusivamente dos cursos de Publicidade e Propaganda, Rádio e TV, Cinema e Produção Audiovisual de Instituições de Ensino Superior da região Sul. Os trabalhos inscritos devem ter sido criados em atividades acadêmicas durante o período do segundo semestre de 2015 até o segundo semestre de 2016.

Os trabalhos deverão ser inscritos online pelo site do Centro Universitário Franciscano. O aluno deverá preencher as informações solicitadas pelo site, inscrevendo quantas peças desejar. Para cada inscrição é necessário identificar a categoria e os autores e postar arquivos de defesa da peça/campanha (PDF) e o arquivo com a peça (JPG, MP3, MP4, PDF). Cada aluno inscrito receberá um certificado de 10 horas.

As inscrições irão até o dia 28 de outubro. A entrega dos prêmios de Ouro, Prata e Bronze, ocorrerá no dia 18 de novembro de 2016, na área de convivência do conjunto lll do Centro Universitário Franciscano.

São diversas as categorias, entre elas: fotografia, design gráfico, audiovisual, filme publicitário, áudio, jingle, campanha. Confira todas as categorias e mais informações no regulamento e não deixe de participar.

 

 

 

Criatividade e inovação na hora do convite

A hora tão esperada da formatura está quase chegando para os alunos do último semestre dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e de Relações Públicas. Após anos de estudo e dedicação, o tão sonhado diploma está próximo. No entanto, os preparativos pré-formatura não param e as meninas – sim, porque é um time totalmente feminino que irá se formar neste primeiro semestre – abusaram da criatividade na hora de convidar seus professores homenageados.

Conforme a acadêmica de Relações Públicas Jéssica Guterres, a escolha dos professores ocorreu de forma unânime, pois foi possível escolher pessoas que representassem suas trajetórias na universidade, sendo uma professora de cada curso. ‘’Como futuras comunicadoras, precisamos buscar a inovação aliada à criatividade. Resolvemos fazer, então, em forma de convocação para surpreender os professores’’, conta.

A “convocação” como passou a ser chamado o convite, foi feita a cinco pessoas que contribuíram com a formação acadêmicas das futuras profissionais. Dentre elas a professora Marcia Formentini, escolhida como amiga da turma, a professora Vera Raddatz, escolhida como patronesse e a professora Márcia Almeida como Paraninfa. Como funcionários homenageados, foram escolhidos os técnicos em áudio e vídeo, Rafael Bianchi e Celio Ferraza.

E agora?

Para muitos, o fim da Universidade é um momento de alívio e de descanso dos estudos, mas não para Jéssica. Ela quer continuar: ‘’Muitas empresas ainda não veem a comunicação como algo fundamental, por isso, após a graduação, pretendo me especializar em gerenciamento de crises’’, destaca. A formatura do grupo ocorrerá no dia 03 de setembro.

Texto: Victoria Capaldo Cuono – acadêmica de Jornalismo da Unijuí

Publicidade Digital e Transmedia Storytelling: conceitos e experiências

A turma de Criação e Produção em Meio Digitais, realizou na última terça-feira, 12 de abril, uma aula diferente. Intitulada como Publicidade Digital e Transmedia Storytelling: conceitos e experiências, o “evento” serviu como fechamento do estudo sobre a Análise de Redes Sociais de empresas regionais.

A discussão contou com a participação da recém-formada em Relações Públicas Daniéli Alexandra Closs, o fundador da empresa Consultare Ijuí, Leandro Schneider e a também sócia da Consultare Juliana Comin. Daniéli, que é auxiliar administrativa de RH na Contemporânea Recursos Humanos e diretora de Preparação de Lideranças no LEO Clube Crissiumal, apresentou o assunto do seu TCC que teve como tema “Storytelling como estratégia de engajamento entre público e marca – O (re)posicionamento da marca Lego”.

Já o Leandro, que é bacharel em Administração, especialista em Marketing e Comunicação Digital, mestrando em Desenvolvimento Regional e a Zootecnista e Mestre em Produção Animal, Juliana, que já atuou como Trainner da Dale Carnegie Course e como gerente geral de mídia digital, falaram sobre a Consultare, que é uma empresa que trabalha com consultoria digital, trazendo cases de clientes e relatando suas experiências no dia-a-dia.

Após a fala dos palestrantes, os alunos puderam esclarecer suas dúvidas. Matheus Bassi, aluno da turma, contou que a aula foi positiva no sentido de efetivar o que vinha sendo trabalhado em aula, proporcionando a oportunidade ainda tirar dúvidas.

E aí? Vamos fazer diferente?

Já passou da hora de repensarmos a publicidade, assim como os nossos (pré) conceitos. Em pleno 2016 muitas marcas continuam explorando o corpo feminino e as banalizando. Continuamos com muitas propagandas clichês e um tanto óbvias, onde os homens se encontram festejando com os amigos e surge uma mulher seminua que entrega a cerveja.

O mundo possui diversidades e estas também querem ser representadas e da maneira correta. É tudo muito superficial e com um descarado preconceito carregado com um tanto de machismo. Já estamos no momento onde as pessoas querem algo diferente, esperam pessoas diferentes e mais conscientes. Elas estão lutando por um mundo melhor e você já se questionou o importantíssimo papel da publicidade nessa construção? A publicidade é influenciadora, tem o dever de proporcionar reflexão, questionamento e também inclusão. Chega de usar formatos apelativos, de diminuir e banalizar.

                Podemos citar aqui alguns casos que estão tentando sair desses estereótipos, como é o caso da Heineken, que acredita e faz um formato diferente e inteligente em seus comerciais. Também podemos sair do mundo de bebidas alcoólicas e relembrar o caso da Adidas que respondeu muito bem os comentários homofóbicos em sua postagem (uma foto de um casal gay).

E aí? Vamos fazer diferente?

fsdfdsfds

Patrícia Beckmann

Acadêmica de Publicidade e Propaganda