O que foi mais procurado no Google em 2017

O que foi mais procurado em 2017 no Google

O ano de 2017 está quase no fim, mas ao longo desse ano muitas perguntas surgiram, músicas novas e eventos para não esquecer mais. Por isso o Google disponibilizou a lista das coisas mais procuradas nesse ano. Ela foi separada por país e também possui a lista do que foi mais procurado no mundo. Quer saber o que mais foi procurado no Brasil? Elencamos os três mais procurados de cada categoria. Para saber mais entre no site Google. Confere aí:

Como Fazer

1-Como fazer ovo de páscoa?

2- Como fazer jejum intermitente?

3- Como fazer crepioca?

O que é?
1- O que é pangolim?

2- O que é Sarahah?

3- O que é TBT?
Por quê?
1-  Por que o Brasil não está na Copa das Confederações?

2- Por que Zeca vai ser preso?

3- Por que o Evaristo saiu do Jornal Hoje?

Acontecimentos
1- Brasileirão

2- Furacão Irma

3- Copa do Brasil

Filmes
1- It: A Coisa

2- Velozes e Furiosos 8

3- Liga da Justiça

Músicas
1- Despacito

2- Deu Onda

3- Trem-Bala

Anúncios

Os Supermaratonistas: o perfil dos viciados em séries

Conseguir ficar o final de semana inteiro olhando temporadas e mais temporadas na Netflix é o melhor programa para os apaixonados em série. Mas se você acha que é um supermaratonista, fica como sugestão conferir a última pesquisa feita pela Netflix antes de afirmar isso.

Em uma análise de dados de seus assinantes, a Netflix identificou a existência dos “Supermaratonistas”. Esses assinantes assistem uma temporada completa de uma série no mesmo dia que ela é lançada no site, afirma a Netflix. A empresa informa que nos últimos quatro anos os supermaratonista aumentaram 20 vezes, ou seja, eles já são mais de 8,4 milhões.

Esses dados reforçam como a internet está presente na vida das pessoas nos últimos anos. “A Netflix permite assistir à TV de uma forma que nunca foi possível antes. Não há nada melhor do que ver uma série mobilizar os nossos assinantes e acender o desejo de assisti-la”, diz Brian Wright, vice-presidente de séries originais da Netflix, em comunicado para a empresa.

 

As séries preferidas pelos Supermaratonista em todo o mundo

1-Gilmore Girls: Um Ano para Recordar

2- Fuller House

3-Marvel – Os Defensores

4- The Seven Deadly Sins

5- The Ranch

6- Santa Clarita Diet

7- Trailer Park Boy

8- F is for Family

9- Orange Is the New Black

10- Stranger Things

 

Esta última, estreia sua segunda temporada hoje! Não vai perder.

Supermaratonistas da Netflix

Artigo baseado em dados da Exame, Galileu e G1.

Produções regionais devem ganhar mais espaço na TV e no rádio

463226_tv_tower

Em pauta: o projeto de lei que regulamenta a programação radiofônica e televisiva local e regional.

Na última quinta-feira (11), o Senado aprovou o texto que determina os limites mínimos semanais de produção regional e local a serem inseridos na programação das rádios e TVs, de acordo com o tamanho das localidades em que atuam. O Projeto de Lei tramitava no Legislativo há mais de 20 anos.

Conforme o Projeto, cidades com até 500 mil habitantes devem ter 336 minutos semanais de programação regional, sendo metade deles (168 minutos) de programas locais – ou seja, produzidos no estado. Já cidades com população entre 500 mil e 1 milhão de habitantes, devem exibir 504 minutos de produção regional, sendo metade de produção local.

Os percentuais serão menores nos primeiros cinco anos de aplicação da lei, aumentando gradativamente até chegar às exigências finais. Ainda segundo o Projeto, como forma de incentivar o cinema nacional, os filmes produzidos no Brasil, independentemente da região, também poderão ser contados no tempo de programação regional e local.

Informações retiradas do site Comunique-se.

PP e RP bombando no mercado de trabalho

685141_searchingE aí, publicitários? E aí, relações públicas? Boas novas: as duas profissões estão bombando no mercado de trabalho. Que orgulho, não? E não é brincadeira!

O estudo “Radar – Tecnologia, Produção e Comércio Exterior”, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), revelou que as duas áreas, aliadas ao âmbito do mercado e negócios foram responsáveis por criar 20.853 vagas de emprego. Nada mal. Essas áreas ocupam a terceira colocação entre as que mais tiveram expansão.

Os dados da pesquisa foram retirados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Por outro lado, o mesmo estudo traz más notícias para a profissão de editor. De acordo com a pesquisa, os editores estão ganhando menos, um valor que caiu 11,9%. O estudo comparou os salários de profissionais admitidos em janeiro de 2009 com os vencimentos dos contratados em dezembro de 2012.

Lembrando dos bons e inesquecíveis programas de TV

castelo ra tim bumCastelo Rá-Tim-Bum! Impossível não sentir saudades, né? Quem ainda se lembra das fantasias, aprendizados, personagens e histórias contadas pelo programa? O Castelo marcou a infância, a adolescência e a vida adulta de muitos telespectadores na década de 90 (e ainda hoje, não é mesmo?). O Programa foi produzido e exibido pela TV Cultura de 1994 a 1997, totalizando 91 episódios. As edições tinham uma abordagem educativa. O Programa foi considerado um grande sucesso. Na época, atingia um nível de audiência altíssimo, com uma média de 12 pontos, maior índice alcançado pela TV Cultura.

Em 2013, o Castelo completou 18 aninhos de vida. Para relembrar, alunos de TV e Rádio da Universidade de Anhembi Morumbi resolveram fazer o seu TCC sobre o Programa. Resolveram produzir um documentário. Com o título “Desconstruindo o Castelo – O Boom do Rá-Tim-Bum” o vídeo tem 30 minutos e conta com depoimentos de atores e idealizadores da trama.

Ficou curioso para ver como ficou o documentário? Confira e mergulhe neste mundo encantado que acompanhou o crescimento de muitos cidadãos por aí, influenciou aprendizados, sonhos e vidas. Fica a dica para os formandos que estão escolhendo seu tema para o Trabalho de Conclusão de Curso, se inspire: afinal, nada mais criativo e genial do que estudar o tema que você gosta! Se identificou? Então, clique e volte no tempo:

É como se fotografar não tirasse mais um pedaço da alma

img85Você tem ideia de quantas imagens são disseminadas nas redes diariamente?

Não? Fato! É impossível contabilizar. Afinal, são inúmeras as fotografias que rolam na rede. A internet promove a banalização do ato fotográfico. No tempo de nossas avós ou antes mesmo, em gerações mais remotas, as fotografias eram raras e cuidadosamente tiradas. Era preciso uma data especial: um aniversário, um casamento, uma festa da comunidade. Agora, qualquer sentimento, não só evento, é motivo fotográfico. Tudo deve ser registrado e publicado nas redes sociais. As câmeras digitais contribuíram muito para que isso se ampliasse.

O jornal O Globo resolveu contar! Pesquisou e chegou ao número de 125 bilhões de imagens compartilhadas na web a cada ano. Já imaginou? Só no Facebook são 300 milhões de imagens postadas por dia. É a cultura da imagem se cristalizando por aí. Interessante é o depoimento do vice-presidente da Associação Profissional de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul (Arfoc), Eny Miranda, em depoimento para o site Comunique-se: “As fotos digitais estão tão disseminadas que fizeram a arte de fotografar perder um pouco de sua magia. É como se fotografar não tirasse mais um pedaço da alma, como diziam os índios”.