Último livro publicado em vida por Ernest Hemingway completa 65 anos

“O Velho e o Mar”, último livro publicado em vida por Ernest Hemingway, em 1952, fala das lutas de um velho pescador com um grande peixe em alto mar. Livro que para o leitor proporciona várias emoções, e também leva a muitas interpretações. Hemingway, após o grande sucesso de “Por Quem os Sinos Dobram?”, em 1940, entrou em jejum de dez anos, que foi quebrado com o livro “Do Outro Lado do Rio, Entre as Árvores”, livro que foi muito criticado pelos especialistas.

Neste ano de 2017 celebram-se os 65 anos da publicação de “O Velho e o Mar”. Por isso vale a leitura de um grande clássico, que com toda a certeza, junto com as outras grandes obras do autor, rendeu-lhe o Nobel de Literatura de 1954. Hemingway, além de um grande escritor, atuou como jornalista. Com o espírito aventureiro e pelo dever do ofício de repórter, cobriu a Guerra Civil Espanhola para a North American Newspaper Alliance, sendo esta experiência a fagulha que resultou num dos romances mais importantes do autor, “Por Quem os Sinos Dobram?”.

o-velho-e-o-mar-ernest-hemingway

Foto: Divulgação

Com uma expressão objetiva, que se pode perceber captada do texto jornalístico, Hemingway em “O Velho e o Mar” conseguiu transpor para os leitores a vida de um pescador idoso, há 85 dias sem conseguir pescar um peixe sequer. O velho Santiago — o pescador — sai mais um dia para o mar, sempre nutrindo a esperança, nesse dia ele fisga um grande peixe e trava uma batalha nas águas. Quando enfim, depois de dias de batalha, o velho consegue vencer o grande peixe e amarrá-lo ao barco, enfrenta novos desafios. Exausto, quando chega à praia, o velho vai a sua cabana e sonha com leões.

Hemingway em uma entrevista relata da criação das personagens falando que o velho é um velho, o peixe é um peixe etc. “Tentei criar um velho genuíno, um rapaz genuíno, um mar genuíno, um peixe genuíno e tubarões genuínos. Se o tiver feito bem e forem suficientemente verdadeiros, podem significar muitas coisas”, finaliza.

HEMINGWAY2

Foto: Divulgação

 

Érico Hammarström, acadêmico de Jornalismo – Agência de Notícias

barra blog

Anúncios

Criatividade no Jornalismo

Criatividade: a palavra da vez. Se você precisa ser criativo no trabalho ou na futura profissão, e por consequência não é uma pessoa criativa, não se preocupe. Com a demanda atual de uma sociedade cada vez mais versátil e menos tradicional, de leitores mais exigentes por informação rápida e ao mesmo tempo interessante, o jornalismo precisa reinventar-se, – ou melhor -, o jornalista precisa desenvolver maneiras criativas que prendam a atenção do leitor.

Com o advento das Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs, esse processo é facilitado. Para o coordenador do curso de Jornalismo da Unijuí, Marcio da Silva Granez, a criatividade na profissão é de extrema importância. “Isso irá garantir o diferencial entre o seu trabalho e o da concorrência. Há uma série de fatores que podem ser trabalhados para que você seja criativo, desde a abordagem até a maneira como apresenta os fatos. Ainda é possível utilizar das diversas plataformas tecnológicas para isso, usando sempre o bom senso para não sobrecarregar a notícia”, explica.

safe

Imagem ilustrativa: culturascopio.com

Contudo, como ser criativo? Não existe fórmula para solucionar essa questão, porém há algumas dicas que podem ser úteis e contribuir para que você jornalista, estudante de jornalismo, simpatizante, escritor de hard News – que é atropelado pelo dia a dia ou simplesmente você, que escreve poemas frenéticos, belos, românticos, cômicos ou que falem sobre pesticidas, desenvolva a sua criatividade na hora de escrever.

Conheça algumas delas:

– Conheça histórias: Para ser um bom contador de histórias, antes de tudo, é preciso conhecer histórias ainda melhores. Para isso, nada melhor que pessoas – todo mundo tem uma história que merece ser contada.

– Se permita errar: Criatividade exige bem mais que o pensamento lógico e de senso comum que é menos propício a erros. Lembre-se: Você não precisa fazer mais do mesmo! Então arrisque, invente, ouse, tente e erre. Aos poucos você encontra o detalhe que estava desajustado e a ideia genial surge em um belíssimo resultado.

– Perspectiva: Você trabalha com informação, e assim como você, há muitas pessoas ainda não contabilizadas que irão trabalhar com a mesma informação. Você é diferente dela, então escreva diferente. Busque um outro olhar. Há algo na informação, na notícia, na história, que ninguém verá, somente você. Busque sempre uma outra perspectiva.

– Busque ser puro: Isso quer dizer que você deve ver as coisas como uma criança, no nosso mundo do jornalismo não há lugar para preconceitos, visões pré-estabelecidas e verdades indiscutíveis.

– Seja curioso e proativo: Busque aprender o máximo que puder. Vá atrás do novo, do que é desconhecido. Esteja à disposição sempre, busque ajudar, seja em casa ou no trabalho. Com isso você terá novos conhecimentos e experiências

– Faça a pergunta certa: Para um jornalista, mais importante que a resposta certa, é a pergunta certa. Saiba que, se você não tem essa pergunta, o seu entrevistado deixa vestígios em sua fala. Explore e preste atenção em tudo que é dito.

– Comodismo: Saia da inércia, você é a única força que pode agir sobre si mesmo.

– Exercite sua sensibilidade e empatia: Você escreve para pessoas. Todos se sensibilizam com algo e há diversas formas de tocar as pessoas através de um texto. Então se permita sentir, para assim, ser verdadeiro e dar humanidade àquilo que escreve. Coloque-se no lugar do outro. A empatia é a chave para a compreensão, e a compreensão é a porta de entrada para um mundo melhor.

Não acaba por aqui. Há diversas dicas, porém como já foi citado, seja curioso e de aquela busca no Google. Por fim, junte tudo o que está escrito aqui com outras 34 partes de você. Bata no liquidificador, unte previamente com interesse, mexa bem e misture em uma forma. Leve ao forno e quando chegar ao ponto, você será criativo, assim como seus textos.

 

Texto: Róbson Gomes – acadêmico de Jornalismo da Unijuí

Marketing Digital: um novo mundo de oportunidades

Marketing Digital

O marketing digital é novidade para os profissionais da comunicação. Área que cresceu muito nos últimos dez anos e que ainda está em processo de experimentação e descoberta. Jornalistas e publicitários que atuam nesse mercado estão em constante atualização em sua forma de trabalhar, devido ao pouco material existente sobre o tema.

A área digital é tida atualmente como um novo mundo de oportunidades, repleta de possibilidades, tanto para quem trabalha nela, quanto para quem dela se utiliza para fins de divulgação pessoal ou empresarial. Tanto que as redes sociais tem se tornado os meios mais utilizados para assuntos pessoais e também para negócios e publicidade. Isso porque elas detêm um grande espaço para interatividade e conexões interpessoais que possibilitam o feedback.

Pensando nesta nova forma de interação, comunicação e divulgação de produtos, serviços, ideias e informações, e também com o objetivo de aumentar o conhecimento referente à área digital, estão em alta capacitações relacionadas ao tema. Entre elas o curso de Pós-Graduação MBA em Marketing e Comunicação Digital da UNIJUÍ, coordenado pelo jornalista e professor Felipe Dorneles.

Segundo Felipe, “o curso visa trazer novidades em estratégias e produção de conteúdo digital”. Além disso, busca proporcionar aos participantes uma visão de um novo contexto organizacional. Também terá ênfases nas áreas de negócios na WEB, relacionamento com consumidor, mídias sociais, gerenciamento de crise, planejamento de marketing, jornalismo e publicidade empresarial.

Se você é acadêmico de Jornalismo ou Publicidade e Propaganda e se interessou pelo tema, busque se manter atualizado. O mundo está mudando e você, comunicador, precisa acompanhar e se inteirar cada vez mais sobre esse novo mundo digital. Já para você egresso de comunicação social, vale considerar a Pós-Graduação, que tende a agregar muito a sua formação. As inscrições podem ser feitas pelo site da UNIJUÍ até o dia 8 de maio.

Texto: Fabiane Borges Madril – acadêmico de jornalismo da UNIJUÍ

 

Atenção, Comunicadores! O Intercom Sul está quase aí

O evento mais esperado pelos estudantes de comunicação chega a sua 17ª edição, que será realizado em Curitiba, na PUCPR, nos dias 26, 27 e 28 de maio

logo-intercom2016

O Intercom Sul reúne estudantes, pesquisadores e professores da área da comunicação. O tema central deste ano é Comunicação e educação: caminhos integrados para um mundo em transformação. É o maior evento na região Sul da área da comunicação e o principal de apresentações de pesquisas e projetos de extensão.

Todo ano comunicadores da Unijuí marcam presença no evento, além do aprendizado também rolam experiências únicas. Os que participaram costumam relatar as maravilhas vividas com a experiência, o que deixa os alunos que vão participar pela primeira vez ainda mais entusiasmados.  “Espero que eu consiga aproveitar as palestras e voltar com novas ideias, mais entusiasmada para faculdade e com mais conhecimento para trocar com os colegas”, declara Giuli Ana Izolan, acadêmica do segundo semestre de Jornalismo.

Corre, moçada, que as inscrições para quem deseja submeter trabalhos vão até amanhã, 20 de abril. Já para os participantes, vão até 09 de maio e podem ser feitas no portal do Intercom. Basta acessar o link e preencher os dados: http://www.intercom.org.br/sis/eventos/regional/novainscricao.asp?eveId=50, aí, é esperar pelas experiências e vivências que o evento trará.

 

Texto: Caroline Gonçalves Batista – acadêmica de jornalismo da UNIJUÍ

Agência de Notícias: o jornalismo na prática

A agência de notícias do curso de Comunicação Social da UNIJUÍ destaca mais produções de acadêmicos de Jornalismo neste primeiro semestre de 2015. O projeto da agência foi iniciado no ano passado em uma parceria da turma de Redação Jornalística I, orientada pelo professor Marcio Granez, com a Usina de Ideias e a Coordenadoria de Marketing da UNIJUÍ. Além das matérias produzidas pelos alunos e divulgadas no blog da Usina de Ideias, na coluna do Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação (DACEC), nos canais institucionais Comunic@ e blog Tá Ligado e matérias para a Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec), a agência de notícias soma em sua bagagem a cobertura colaborativa do Salão do Conhecimento.

Já que o assunto é Jornalismo, vamos começar a divulgação das matérias aqui no blog da Usina com textos que falam sobre a profissão, com destaque para o dia do jornalista celebrado no mês de abril. Confira:

Um profissional sem falácias

Em duas datas paradoxais, abril apresenta a mentira e a verdade em menos de uma semana. Lembrado mundialmente como a data da mentira no primeiro dia do mês, uma semana depois comemora também o dia da “verdade”, quando em 7 de abril homenageia o profissional do jornalismo, cuja responsabilidade é de apresentar os fatos tal qual aconteceram.

Jornalismo - Redação I

A data foi escolhida pela Associação Brasileira de Imprensa – ABI para homenagear os jornalistas, ressaltando a importância da profissão e da liberdade de imprensa, do esforço que todos os profissionais da área colocam para que haja o direito de livre arbítrio para a expressão de pensamentos e opiniões. Esse dia remete na história ao assassinato do médico e jornalista João Batista Líbero Badaró, morto por seguir os princípios básicos do jornalismo, em sua imparcialidade ética.

Este profissional auxilia no processo democrático de uma sociedade, trazendo a público as notícias livre de manipulações e possibilita a população acompanhar os acontecimentos com veracidade. Assim, todos podem julgar, debater e refletir igualmente acerca dos aos assuntos atuais.

Para você, qual a importância do jornalista e do jornalismo?

Valéria Foletto – estudante de jornalismo:

“O jornalista é muito importante para a sociedade, pois é através dele que as pessoas adquirem conhecimentos sobre o que acontece em seu meio social sobre fatos da economia, política, educação e saúde, por exemplo. O profissional de jornalismo, que passou por âmbitos acadêmicos, está apto a informar de forma clara, coerente e verdadeira, tudo aquilo que a sociedade precisa saber, por isso é considerado um formador de opinião. A informação é importante, pois sem ela, uma população acaba por se tornar alienada e omissa quanto a seus direitos e deveres. O jornalismo está presente em tudo, pois possui vários modelos que facilitam com que a informação chegue até o receptor; seja o rádio, a televisão, o jornal ou as mídias sociais, todas elas atingem a população, mas de formas diferentes para cada indivíduo”.

Joice Nielsson – professora de direito na UNIJUÍ:

“O Jornalista exerce uma função essencial em nossa sociedade, função esta que é imprescindível à conquista, manutenção e aprimoramento de nossa democracia. Uma sociedade democrática pressupõe a participação, a manifestação do seu povo, e essa manifestação e participação só irá acontecer se este povo tiver livre acesso à informação, saber, conhecer o que está acontecendo a sua volta. É o jornalista que torna de conhecimento público o direito a saber, conhecer o que se passa, efetivando assim o verdadeiro direito à informação e à livre manifestação de cada um, sendo por isso essencial a um Estado Democrático de Direito”.

Claudio Souza – Coordenador Regional de Educação da 36ª CRE – Ijuí:

“O jornal é um elo de ligação da notícia e a sociedade. Quando penso a instituição, falo que a imprensa tem um papel fundamental pela divulgação das nossas ações para a comunidade. Mesmo com o avanço da tecnologia e pela rapidez que as informações circulam, o prazer de ler um jornal e degustar as notícias ainda é uma forma de aproximar o escritor no caso o jornalista, do leitor”.

Rodrigo Klahr – assessor de comunicação da EFA:

“Acho que o jornalista é o detetive da sociedade atual. O trabalho dele vai além de publicar fatos óbvios. Ele hoje, mais do que nunca, assume um papel investigativo, traz pontos de vista, e explicita tudo de maneira mais imparcial possível, para que o cidadão possa fazer sua autocritica e se posicionar ou não a respeito de um assunto abordado. Em uma sociedade virtual onde todo mundo tem voz, todo mundo cria notícia, fala o que quer sem medir consequências, o jornalista deveria ser mais valorizado, uma vez que ele tem conhecimento técnico para produzir informação relevante, respeitando as diretrizes éticas que sua profissão lhe propõe”.

Vera Raddatz – professora de Jornalismo na UNIJUÍ:

“O jornalismo de qualidade é um elemento essencial para compreender a realidade. É uma reinterpretação do mundo”.

 Texto: Marjorie Bock, estudante de Jornalismo da UNIJUÍ

Barra blog

Notícia importante merece chamada especial

Seguindo as publicações sobre Jornalismo, destacadas no mês que celebra o dia do jornalista, confira mais um texto da agência de notícias:

Seja no rádio, televisão, jornal ou internet. Na capital ou no interior. Escrevendo, gravando, filmando, fotografando, ou fazendo tudo isso ao mesmo tempo. Não importa onde e nem como. O jornalista transforma fatos em notícias e nos lembra sempre a importância de estarmos bem informados.

Sobre Jornalismo - Redação I

Abril é o mês da profissão daqueles que buscam a verdade acima de tudo e que com ética e responsabilidade lutam para que todos estejam por dentro de tudo que acontece a nossa volta. Quem vai atrás da notícia, não para nunca, a não ser quando recebe aquela folga, mas mesmo assim vê pauta em tudo quanto é canto.

Os tempos mudaram, mas a verdade continua sendo a principal matéria-prima para quem é jornalista. É por isso que desejamos a você jornalista, muitas pautas e principalmente muito café!

E aí, o que o Jornalismo significa pra você?

Thomás Silvestre – 8º semestre de Jornalismo:

Eu encaro o jornalismo com uma forma de dar minha contribuição para uma sociedade melhor. Entendi que através da comunicação posso fazer minha parte. A oportunidade de poder esclarecer as pessoas e contribuir na formação do conhecimento é o que me motiva.

Eduardo Gonçalves – 9º semestre de Fisioterapia:

É fonte de informação. Por onde os acontecimentos, locais, regionais ou mundiais, são conhecidos pelos mais diversos públicos e de diversas formas.

Leonardo Frizzo – 3º semestre de Engenharia Elétrica:

O jornalismo significa para mim um meio muito importante, pelo fato de transmitir notícias e conhecimento às pessoas sobre o mundo no qual vivemos, mostrando a realidade de diversas partes do planeta.

Marcelo Erthal – Bacharel em Administração:

Eu acredito que o jornalismo é a arte de levar até as pessoas informação e notícia, de forma imparcial e não tendenciosa, retratando sempre a verdade de um fato ou acontecimento, de forma totalmente ética. Na minha opinião esse é o verdadeiro jornalismo.

Eduardo Roratto – 3º semestre de Publicidade e Propaganda:

Jornalismo é uma das bases da comunicação, responsável por transmitir às pessoas notícias, acontecimentos, conhecimentos e aprendizados também. É saber apurar os fatos e transmitir com veracidade as informações que o público deseja. Jornalismo vai além de uma tela de televisão, de um rádio ou computador. É saber investigar, filtrar os fatos, redigir, corrigir, reformular, enviar, receber, conferir; apresentar, emocionar, errar, aprender; ser o protagonista de histórias que sem ele talvez nem existissem aos nossos olhos.

Fátima Teles – 1º semestre de Letras:

Jornalismo para mim é a arte de transmitir informações, notícias ou qualquer outro fato para as pessoas em geral, para mantê-las a par do que esta acontecendo de relevante no mundo todo, ou na comunidade onde se vive.

Gabriela Langaro – 1º semestre de Educação Física:

Para mim o jornalismo é o elemento chave da comunicação, é através de reportagens, entrevistas, publicações; entre outros, que ficamos sabendo dos acontecimentos. E para isso precisa-se de profissionais qualificados para que o trabalho seja realizado com êxito e seus telespectadores fiquem satisfeitos.

Texto: Évelin Lorca, estudante de Jornalismo da UNIJUÍ

Barra blog

Agência de Notícias seleciona alunos para cobertura jornalística do Salão do Conhecimento

salao2014

A Agência de Notícias do Curso de Comunicação Social da Unijuí está selecionando acadêmicos de Jornalismo para participar da cobertura do Salão do Conhecimento 2014, que acontece de 09 a 12 de setembro. A atividade será realizada de forma colaborativa, com apoio e orientação do curso de Jornalismo, da Agência Experimental de Comunicação Social (Usina de Ideias), da Unidade de Jornalismo da Coordenadoria de Marketing e da Unijuí FM. Os acadêmicos interessados em participar devem enviar e-mail para usina@unijui.edu.br.

Serão selecionados 10 alunos que deverão entrevistar professores, pesquisadores, alunos e demais participantes do Salão do Conhecimento para construir matérias multimídia sobre os mais diversos assuntos que estarão em pauta nos dias do evento. As produções serão publicadas no Blog Tá Ligado, no Blog da Usina de Ideias e até mesmo no Comunica, portal em que são divulgadas notícias da Unijuí. Além disso, elas deverão abastecer a imprensa de informações sobre o evento. Boletins e entrevistas produzidas também irão ao ar na programação da Unijuí FM. Tudo será veiculado com o devido crédito aos alunos que produzirem os textos, as fotos, os áudios ou vídeos. Está prevista ainda a cobertura por redes sociais (Twitter, Facebook, Instagram).

Será disponibilizada aos estudantes uma estrutura com computadores com acesso a internet, um media center, para transmitir os dados em tempo real, com qualidade e velocidade. Os estudantes terão a oportunidade de realizar uma cobertura ampla, com profundidade sobre um dos mais importantes eventos acadêmicos realizados pela Unijuí. Além disso, ao final do evento os acadêmicos receberão um certificado de participação para incluir no currículo.

barra ok