As lições do Projeto Rondon – PARTE 3

A parceria com os mineiros

E  foi rompendo barreiras que nos integramos a equipe do Conjunto de ações A (Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde) que partiu da UNITRI – MG levando, assim como nós, um espírito de doação e contentamento para a Bahia. Tudo começou assim:

“Cheguei, cheguei: só pra ti dizer quem sou

Eu sou o Projeto Rondon

Brasileiro acolhedor”

64991_10200337430909091_1577467024_n

Abertura oficial do Projeto Rondon na Câmara de Vereadores do município de Cansanção-BA.

Ao som da batucada cantamos juntos na abertura oficial do município estes versos elaborados pelos mineirinhos cheios de ritmo. A partir daí muitas amizades foram construídas, muitas risadas dadas, muitas músicas cantadas, dinâmicas realizadas, e muitas vidas cruzadas. Dessa união surgiu o casamento perfeito para que Cansanção tivesse a sua disposição um conjunto de ações completo e rico.

No final, na cerimônia de encerramento realizada pelo quartel, acrescentamos mais versos aos primeiros. Alguém deve ter dito algum dia na história humana que tudo o que vira música é porque deve ter sido vivido intensamente. Foi isso o que aconteceu:

“Cheguei, cheguei: só pra ti dizer quem sou

Eu sou o Projeto Rondon

Brasileiro acolhedor

Nós fomos para

O município de Cansanção

Os gaúcho e os mineiro se entregaram de coração”.

Além de versos, qual será que foi o grito de guerra desse pessoal? Não poderia  ser outro:

“UAI, TCHÊ”

Mineiros, foi um prazer conhecer cada um de vocês, com seu jeitinho, seu bom humor, suas histórias, seus talentos. Foi um prazer também jogar aquela bela partida de vôlei, lembram? Deixa pra lá, outra hora aceitamos a revanche. Só nesse jogo estávamos em lados opostos, nos demais estávamos lado a lado e no jogo da cidadania vencemos juntos. Quando o comandante na cerimônia oficial de encerramento em Juazeiro-BA mencionou as Universidades, UNITRI e UNIJUÍ se ergueram de uma só vez!

546962_10200337388508031_1242113125_n

DSC_0247

A equipe da UNIJUI e a equipe da UNITRI, visitaram, no último dia em Cansanção, a cidade histórica de Canudos-cidade que dá nome a esta Operação do Projeto Rondon.

A lista de aprendizados cresce sem parar. Já notou?

Sem dúvida, como diz o lema do Projeto Rondon, o Brasil é uma sala de aula com mais de oito milhões de km2.

Conseguimos realizar as atividades de acordo com a proposta inicial. Nesse ponto acredito que todos concordamos em parabenizar nossos coordenadores, Paulo Ernesto Scortegagna e Leonir Terezinha Uhde pela luta, pela horas sem dormir, pelo esforço e dedicação para que tudo desse certo. Acima de tudo, eles estão de parabéns!

Todo o trabalho realizado nos rendeu muito conhecimento. A convivência com a equipe também. As amizades remanescentes dessas relações são preciosas. Amizades entre nós, entre os mineiros, entre as entidades que nos ajudaram a desenvolver os trabalhos, como a ONG HUMANA BRASIL, o Coletivo de Jovens, o Sintraf (Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares de Cansanção) e a Prefeitura Municipal.  Amizades com todo o povo cansançãoense, da galera da pousada onde ficamos alojados, com os demais rondonistas dos outros municípios, enfim, uma infinidade de novas ligações que construímos. Agora, resta-nos dizer, que esperamos todo mundo aqui no sul para um belo churrasco e um quente chimarrão!

Tem história que não termina mais! Apelidos carinhosos, cochiladas no ombro alheio dentro do avião, e assim por diante. Muitas páginas ainda podem ser escritas e muitos “causos” contados. O que ficou foi uma família que riu, chorou, trabalhou, cantou e se dedicou em equipe! Sem palavras para agradecer a parceira e homenagear o esforço de todos esses guerreiros. Os versos de Luiz Gonzaga em “A vida de Viajante” talvez possam deixar a mensagem ideal:

“Guardando as recordações

Das terras por onde passei

Andando pelos sertões

E dos amigos que lá deixei”.

DSC_0380

Encerramento da Operação Canudos que reuniu os 400 rondonistas participantes.

Fica aqui registrado este breve relato, de histórias e emoções que ultrapassam o descritível, e que ficarão gravadas no coração, na vida e na carreira profissional de cada rondonista. Além de tentar reunir e compartilhar alguns dos momentos vividos pela equipe, estas palavras também objetivam incentivar a todos que participem do Projeto Rondon! Uma lição de vida e cidadania! Vale muito a pena!

Carinhosamente,

Araciele Ketzer  (Para a família Rondon – simplesmente, Maria!)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s