Ele é um exemplo de criatividade e profissionalismo

Eu não levei muito á sério quando, em uma conversa informal na primeira semana de curso, alguém com muitos semestres a mais do que eu disse: “Trabalho se torna o segundo nome de quem escolhe essa vida”. Devo ter respondido com uma piadinha amarela, daquelas que tenho sempre pronta: “Se ainda tiver uma cerveja em casa no fim do expediente, que mal tem?”.

Eu realmente deveria ter prestado atenção.

Naquela época, com 17 anos e um cabelo que mais parecia releitura da Maria Betânia, já trabalhava há cerca de um e meio na Gráfica Multicor, aqui da cidade. Isso, juntamente com o fato de ter pouca matemática e muitos amigos, foi decisivo para a escolha do curso de publicidade. Já sabia o que era uma pilha monstruosa de trabalho, um cliente tosco, um cliente master tosco, calotes no pagamento, fazer o trabalho de 10 pessoas e outras coisinhas que vemos com freqüência (Opa! Não tem mais trema.) no dia-a-dia dos publicitários. Durante esse tempo na gráfica, paralelamente também fiz alguns trabalhos como dar aulas de criação web em uma empresa chamada Fabrim Informática (Não, não era minha.), e fazer um site para uma empresa Ijuiense como parte do meu estágio para conclusão de um curso técnico.

Em novembro de 2006 resolvi colocar o pé no mundo. No mundo próximo, é claro, que não sou louco de sair sem rumo por aí. Fazendo o caminho inverso de muitos colegas, que vêm para cidades maiores, recebi uma oferta de emprego em três passos, e duas semanas depois já estava lá. A Grafipassos foi um grande aprendizado, e não só em termos profissionais. Entre todas as coisas que aprendi nesse período morando lá, a maior delas foi admirar os alunos que passam três, quatro e até cinco horas dentro de um ônibus para ir à faculdade, e, certamente, essa foi uma das coisas que me fez voltar à Ijuí.

De volta à terrinha, fui chamado para trabalhar no Jornal da Manhã, que foi um divisor de águas na minha vida profissional. O que aprendi nos dois anos em que estive ali principalmente sobre auto-didatismo, criatividade e como é o trabalho em ‘equipe’, foram, de longe, as coisas que mais me ajudaram a crescer profissionalmente até aqui. Aprendi que o fato de um chefe ser tirano com alguém não significa que será com você; que se você quiser horários pré determinados, não deve trabalhar com comunicação; que se não souber fazer, vai ter que procurar até achar um jeito, e, principalmente, que o jeito certamente é pior do que aquele que você encontrará na manhã seguinte, quando o caderno estiver impresso. Nesses dois anos desempenhei todas as funções que haviam na minha área dentro da empresa: classificados, cadernos, anúncios, jornal, a revista Stampa, materiais para gráfica, materiais de uso interno, e tudo o mais que pode ser feito por quem é do setor de artes de uma empresa.

Findada minha experiência no JM, resolvi declarar minha própria Lei Áurea contra as redações e salinhas fechadas de escritórios: optei pelo trabalho free. Para isso, foi fundamental todos os contatos feitos durante esses anos de trabalho. Com uma bagagem de trabalhos que incluía os mais variados tipos, de cadernos especiais para Zero Hora e informativos da OAB até embalagens para empresas de sementes de distribuição regional, não foi difícil engrenar nessa escolha.

Hoje, além de trabalhar como um ‘free-semi-fixo’ na Revista e Jornal TRI, no Cooperjornal de Três de Maio e na Ecograf, ainda acumulo mais alguns trabalhos que sempre vão surgindo, e, se há a desvantagem de ter que virar algumas (muitas) noites para dar conta de tudo, fica o conforto de poder trabalhar em casa, de fazer o que realmente gosto, e de ter a certeza que o caminho escolhido foi o certo.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s