NO diploma

“Pra eu, iço virá a estar sendo um pobrema. Não só pra eu, né? Pobrema pra tdo mundo que achava que o jornalismo viria poder a mudar o mundo”.

Apenas Ctrl+C e Ctrll+V.

Cai a obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de jornalista

Foi decidido hoje pelo STF que não é mais obrigatório ter diploma para exercer a profissão de jornalista. Ou seja, você que estudou durante quatro anos numa universidade particular e  pagou uma nota preta de mensalidade, ralou feito louco (tanto na particular quanto na federal ou estadual) para realizar o sonho de ser jornalista, perdeu seu tempo, pois, qualquer Zé Mané pode exercer a profissão.

De acordo com o relator do processo, o presidente do STF, Gilmar Mendes, aquele que concedeu habeas corpus ao Daniel Dantas e bateu boca com o ministro Joaquim Barbosa durante sessão plenária do tribunal (pra não citar mais fatos), “a formação específica em cursos de jornalismos não é meio idôneo para evitar eventuais riscos à coletividade ou danos a terceiros”, acredito que essa afirmação deveria valer para outras profissões também, como a advogado, por exemplo. Os ministros Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Eros Grau, Carlos Ayres Britto, Cezar Peluso, Ellen Gracie e Celso de Mello tiveram a mesma postura do relator. O único a votar pela exigência do diploma, Marco Aurélio Mello disse que qualquer profissão é passível de erro, mas que o exercício do jornalismo implica uma “salvaguarda”.

Tenho que concordar que a universidade não garante a qualidade do profissional, mas talvez isso não seja culpa dos estudantes e sim de quem é responsável por zelar pela qualidade dos cursos. Com o aumento do número de universidades particulares, observamos cada vez mais que as instituições de ensino superior não estão nem aí que seus universitários saiam maus profissionais, eles estão preocupados se o boleto da mensalidade foi pago, e isso é grave. O que podemos identificar nas universidades públicas é o sucateamento das ferramentas necessárias para o ensino, seja em curso de comunicação ou na área de saúde, os acadêmicos e professores têm de criar alternativas para conseguir um ensino de qualidade, o que devemos fazer?

Voltando a questão do diploma do jornalismo, fico pensando como ficará a questão salarial, pois, com a obrigatoriedade o piso já era baixo, agora que qualquer um pode exercer a função temo que ele possa cair ainda mais, já que nem todas as empresas de comunicação se importam com a qualidade do conteúdo e fazem de tudo para diminuir sua folha salarial.

Em outra declaração infeliz, o ministro Gilmar Mendes comparou a profissão de jornalista com a de chefe de cozinha. “Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área”, mais infeliz impossível a meu ver.

A advogada do Sertesp, Taís Gasparian, citou a questão da disseminação da informação na internet através dos blogs, mas podemos comparar os blogs à editoria de artigos e editoriais, no qual qualquer pessoa pode colaborar, na verdade, qualquer profissional podia ser um colaborador remunerado em um jornal, só não podia exercer em período integral a profissão de jornalista.

Maus profissionais sempre haverão em todas as áreas, acredito que o curso superior para qualquer profissão agrega diversas vantagens e quem sai ganhando com um jornalista de formação, ou qualquer profissional qualificado, é a sociedade. Ou seja, infelizmente, esta quarta-feira, 17 de junho de 2009, foi um retrocesso histórico para os jornalistas.

por Rafael Meira – MTV.

Anúncios

3 respostas em “NO diploma

  1. Fiquei muito decepcionada com esse resultado, esperava que os vários movimentos que estavam ocorrendo fossem válidos de alguma forma, esperava que o STF fosse consciente. No ínicio eu tinha muito medo de fazer o curso de jornalismo, com os quase dois anos na faculdade, aprendi que o bom profissional é o bom profissional com a validade do diploma ou não, mas nesse fim de semestre é algo muito preocupante, algo que desanima qualquer estudante de jornalismo. Ontem ouvi alguns estudantes comentando em mudar de curso, acho que isso no momento não é necessário. Mas e agora o que será do jornalismo? O que será da informação com responsabilidade e qualidade?

  2. PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: A UNIJUÍ E SEUS ESTUDANTES NÃO VÃO FAZER NADA??? UNIFRA, UFRGS, UCS, UNISINOS, PUCRS, TODOS ESTÃO SE ORGANIZANDO… E A UNIJUÍ????

  3. oi anônimo!
    apesar de não saber quem é você, que curso faz, onde estuda e tudo mais; quero lhe informar que sim, os estudantes de jornalismo da unijuí farão uma mobilização nesta quarta-feira!
    se você quiser participar e precisa de mais detalhes sobre, pode encaminhar um email pra mim:
    julia_qr@hotmail.com
    estou à sua disposição!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s